Bolo de Queijadinha com Cocada

A Fama dos Portugueses

A fama dos doces portugueses vem do século XV, quando teve inicio a produção de açúcar nas colônias portuguesas, mas o começo da tradição está ligado diretamente com a igreja, pois a tarefa era de responsabilidade das irmãs monja. No inicio as freiras não escolhiam o hábito pela fé, na realidade era por imposição social (da família), e fazer os doces (os quitutes) eram uma forma de suportar a rigidez do claustro.

O Aproveitamento do “Lixo”

Nos séculos XVIII e XIX, Portugal passou a ser o principal produtor de ovos da Europa, a maior parte da produção de ovos era destinada a purificação do vinho branco “a clarificação”, e a clara também servia para engomar as roupas da aristocracia e os hábitos dos padres e das freiras.

Com tantas claras sendo usadas, as gemas eram jogadas no lixo, isso mesmo eram desperdiçadas, mas as freiras perceberam que o desperdício podia se tornar em produtos lucrativos, transformando o que seria lixo em iguarias finas, que depois veio a se tornar marca registrada da culinária lusitana.

Nas fazendas que eram mantidas pela igreja, nos conventos e nos mosteiros as gemas eram alimentos para os porcos e para outros animais mais tinha tanta gema que sempre sobrava. As cozinheiras dos conventos realizaram experimentos a base de gema e de açúcar que vinha das colônias portuguesas. Muitos doces surgiram como: o papo de anjo, o pão de ló, o manjar celeste, o toucinho do céu e muitos outros que eram vendidos nos vilarejos, os doces de ovos se transformaram numa importante fonte de renda para varias cidades portuguesas.

Os Doces No Brasil

A primeira ordem religiosa feminina a chegar ao Brasil foi a das Clarissas e logo fundaram o convento do desterro de Salvador, depois seguiram para o Rio de Janeiro e fundaram o mosteiro Nossa Senhora da Conceição, e foram se adaptando ao nosso país, com a circulação de tantos religiosos pelo território brasileiro, os doces portugueses se tornaram famosos.

Com o tempo os doces foram ganhando jeito e o gosto dos brasileiros, também ganharam novos temperos e novos ingredientes, foram enriquecidos com os frutos da terra, ganharam temperos e perfumes das mãos habilidosas das nossas cozinheiras e assim surgiram os doces que não eram religiosos. Foi desta forma que a culinária passou a fazer parte da vida das senhoras das casas coloniais e as sinhás copiavam e também reproduziam as receitas dos conventos.

O Abrasileiramento dos Doces Portugueses

Por mais que possa parecer estranho, muitas receitas consideradas brasileiras são de origem portuguesa como o arroz doce, a ambrosia, o manjar, o pudim e outras. Os primeiros doces genuinamente brasileiros foram o pé-de-moleque, a paçoca, a rapadura, a cocada, o quindim e os bolos de mandioca.

Na região nordeste as receitas dos bolos homenageiam as famílias através de receitas de bolos como o Souza Leão, Luís Felipe, etc., que existem até hoje. Já na região sul do País, a produção de doces também foi trazida de Portugal junto com os imigrantes que vieram em meados do século XIX.

Eles trouxeram em sua bagagem os maravilhosos: ninhos, fios – de – ovos, baba – de – moça, camafeus, papo – de – anjo, canudinhos recheados, pastéis de Santa Clara e outros. Os italianos e alemães da mesma forma fizeram parte dessa cultura. Naquela época, todas as festas eram regadas a doces, já que para os imigrantes, doce e açúcar eram sinônimos de comemoração. Cada família tinha a tradição de passar suas receitas de geração em geração.

O negro e o índio nunca foram muito fãs do açúcar, por isso temos uma gama maior de pratos salgados oriundos dos negros e índios, é neste tipo de comida que encontramos as habilidades culinárias destas raças. De toda maneira, e devido a escravidão que ambos os povos sofreram eles participaram direta e indiretamente da fabricação de doces, e isso acontecia quando eles ajudam as suas “sinhás”, ao executar as tarefas mais pesadas, desde descascar e cortar as frutas, como mexer os tachos e enrolar a massa ainda quente.

Num trabalho que obedecia sempre às regras do coração, transformavam ingredientes diversos em pequenas obras de arte, já que apenas na cozinha era permitido à mulher manifestar-se criativamente. As mensagens de afeto ganharam nomes especiais como fatia – de – amor, bem – casados, suspiros e outros.

A Queijadinha

A famosa queijadinha é um doce nascido no Brasil, porém de origem inteiramente português, mas sem ter sido criado nos conventos religiosos. Na realidade como o Brasil também sofreu influência da culinária africana, diz-se que a queijadinha foi criada por um escravo que não tinha queijo para fazer a receita e colocou o coco. Vamos começar pela receita original da Queijadinha, veja:

Ingredientes

  • Leite      condensado;
  • Ovos;
  • Manteiga
  • Coco ralado e queijo ralado.

Como Preparar

Em uma tigela vamos agregar todos os ingredientes, e deixe reservado, unte forminhas de empada com margarina e coloque a massa do bolo ( ate o meio da forminha), leve ao forno e deixe ficar bem douradinha

Chegou A Hora de Misturar

Que tal tentar misturar o delicioso sabor da queijadinha com o manjar dos deuses que é a cocada? Imaginou? Pois, veja agora a receita que pode fazer você se tornar um verdadeiro mestre cuca dos doces.

Bolo de Queijadinha Com Cocada

Esta receita é do famoso apresentador, culinarista Edu Guedes

Vamos Aos ingredientes do Bolo:

  • Fubá;
  • Manteiga
  • Queijo
  • Leite      de coco;
  • Ovos;
  • Açúcar;
  • Fubá;
  • Leite      condensado;
  • Coco;
  • Fermento.

Ingredientes da Cocada

  • Coco ralado;
  • Açúcar;
  • Água.

Modo de Preparo

Bolo

Misture todos os ingredientes no liquidificador, exceto o fermento. Deixe bater por uns 5 minutos, depois coloque a massa em uma tigela e só então acrescente o fermento, mexendo devagar para que ele não perca seu efeito. Coloque em uma forma untada com manteiga e fubá, leve ao forno por aproximadamente 30 minutos ou até dourar.

Cocada

Coloque todos os ingredientes em uma panela e mexa sem parar, deixe cozinhar até que fique com uma calda grossa, o ponto lembra o de brigadeiro, porém não tão duro.

Desenforme o bolo em um prato que você irá servir, cubra o bolo de queijadinha com a cocada e sirva.

Agora que você já sabe como fazer essa maravilha, pode fazer e servir em uma próxima reunião com os amigos. Aproveite e mostre os seus dotes culinários.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Bolo

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • vc nao colocou a quantidade dos ingredientes

    DEISE C CARRION 29 de Março de 2014 15:40

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *