Urubu Cozido

Urubu Cozido

O que você faria se chegasse em um lugar e as pessoas te oferecessem carne de urubu para comer? No mínimo, você não acreditaria que é verdade, não é mesmo? 

Mas saiba que existe sim pessoas que comem urubu cozido. E elas moram na Indonésia. Segundo algumas fontes, é comum por lá as pessoas comerem guisado de urubu. Embora não tenhamos como afirmar se é verdade ou não, pois o urubu é conhecido por se alimentar de forma totalmente anti-higiênica.   

É uma espécie considerada necrófago, ou seja, alimentam-se de animais mortos. Na verdade, eles se alimentam de todo tipo de resto orgânico. E contribuem para a limpeza da natureza. Em países do ocidente, o urubu é tido como um animal de hábitos nada saudáveis, sujo e que transmite muitas doenças. Por isso, seguramente, ninguém aqui se arriscaria a comer a carne desse animal. 

Espécies de Urubus

O urubu pertence ao conjunto de aves da ordem Cathartiformes, ou familia Cathartidae. Ao todo, são sete espécies que compõem esse grupo, sendo divididas em 2 subgrupos: três espécies de condores e quatro espécies de urubus. 

São aves de médio a longo porte. Possuem asas longas e bem largas. Sua coloração é preta. A principal característica que os diferencia são as cores da cabeça e o seu formato. Os urubus não caçam, por isso, eles não têm garras que ajudem a segurar e a matar a sua presa. Os urubus possuem a cabeça e o pescoço sem pena. 

Para muitos animais, a carne podre faz mal. Já nos urubus, isso não acontece, devido ao suco gástrico que é secretado no seu estômago, que atua neutralizando as toxinas e as bactérias que a carne apodrecida contém. Além do mais, eles possuem anticorpos no sistema imunológico tornando-os imunes a algumas doenças que certamente atingiriam demais animais. 

Os urubus usam a corrente de ar quente que os ajuda a planar por um longo tempo. Assim, eles não gastam muita energia. Eles voam por muitos quilômetros em busca de alimentos. 

No período de reprodução, os urubus não constroem ninhos. Eles usam árvores ocas ou fendas em penhascos para nidificar. 

Confira abaixo as 4 subfamílias que a pertencem os urubus: 

  • Urubu-de-cabeça-vermelha (Cathartes aura): essa espécie ocorre a partir do sul do Canadá até a América do Sul. A sua migração acontece de julho a novembro. O comprimento das suas asas pode chegar a 1,80 metro de envergadura no formato “V”. A pelo do seu pescoço e da sua cabeça é vermelha e nua. As suas penas são na cor cinza escuro e eles habitam matas, bosques e campos.
  • Urubu-da-mata (Cathartes melambrotus): essa espécie pode ser encontrada nas regiões norte de central do Tocantins e da Amazônia, da Venezuela, da Colômbia, Peru e Guianas. Esses urubus vivem em matas de várzea e de terra firme, primárias e ribeirinhas. Medem de 75 a 81 cm e o seu peso varia entre 1,5 a 1,65 Kg. Sendo que a sua envergadura varia entre 166 a 178 cm.
  • Urubu-de-cabeça-amarela (Cathartes burrovianus): essa espécie pode ser encontrada em várias regiões do Brasil, principalmente na Amazônia e no Nordeste. Além de também ser encontrado desde o México até o norte do Uruguai e da Argentina. É uma espécie que voa baixo. Ela habita beiras de rios e de lagoas florestadas, e também áreas pantanosas e campos. Normalmente, eles vivem sozinhos ou em grupos de poucos indivíduos.
  • Urubu-de-cabeça-preta (Coragyps atratus): essa espécie é a que apresenta a menor envergadura, cerca de 143 cm. Mas, ainda assim, é o mais agressivo dentre os menores urubus no momento de disputar o alimento com as demais espécies. É uma das mais comuns aqui no Brasil. Mas também pode ser encontrada em quase toda a América do Sul e na região central dos Estados Unidos. Esses urubus possuem 62 cm de altura e pesam 1,6 Kg. As aves adultas e as jovens são quase totalmente negras, não fosse por uma linha mais clara que elas possuem no final das suas asas. Ao contrário dos demais urubus que planam em “V”, esses urubus costumam planar com as asas esticadas. 

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Carnes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *