Culinária Nordestina

1- Chuleta Bovina Nordestina

Um prato que é muito comum na cidade de João Pessoa, na Paraíba. Simples de fazer e deliciosa. Veja os ingredientes necessários para uma porção!

  • 1 bife de chuleta bovina fresco (deve ter espessura média, não muito fino, não muito grosso)
  • 5 dentes de alho picados em minúsculos pedaços
  • Faça um misto de pimenta: cominho com pimenta do reino com louro – use à gosto
  • Prepare uma porção de sal grosso misturado com ervas finas da sua preferência
  • Duas colheres de sopa de manteiga de garrafa.

Como fazer:

Use o alho e a pimenta para temperar a carne. Espalhe bem ambos ingredientes pelo bife de chuleta bovina para ficar bem saboroso.

Pegue uma frigideira grande, que a carne fique bem acomodada e leve ao fogo (alto) com uma colher de manteiga de garrafa.

Quando a manteiga estiver completamente derretida, mexa a frigideira de um lado para o outro para que ela se espalhe bem, fique untada.

Agora é a hora do grande segredo da receita – selar a carne. É uma técnica que consiste em deixar todos os lados da carne tostados, porém, bem rapidinho. Mas, o segredo está em virar a carne sem usar um garfo. O bife não pode receber nenhum um furo.

Depois de tostar a carne dos dois lados é hora de colocar o sal grosso. Não como no processo do churrasco, pois ele ficará todo concentrado sobre a carne.

Vá usando o resto da manteiga da receita para ir molhando a carne. O sangue vai começar a sair e quando chegar no ponto da sua preferência é só tirar da frigideira e servir.

2- Bolo de Mandioca Nordestino

Aprenda a fazer um delicioso para o café da manhã ou o lanche da tarde. Anote os ingredientes necessários.

  • Rale (ralo fino) dois quilos de mandioca amarela CRUA
  • 1 quilo de açúcar
  • 500 gramas de margarina
  • 8 ovos grandes ou se forem pequenos, 10
  • 6 garrafas de leite de coco sendo que cada uma delas deve ser de 200 ml
  • 200 gramas de coco fresco (ralado na hora)
  • 2 colheres (de sopa) de fermento em pó
  • 1 pitada de sal

Aprenda como fazer:

O primeiro passo é ralar a mandioca crua, que pode ser um processo feito com um ralador fino ou passada em um processador.

Depois de ralada usar um pano de saco para torcer a massa que se formou e tirar todo líquido da mandioca, que poderá ser jogado fora.

Dentro de uma vasilha bem grande coloque a massa conseguida com a mandioca e acrescente: os ovos e o açúcar. Use uma colher de pau para misturar bem esses três ingredientes.

Quando estiverem bem misturados acrescente: a margarina, o leite de coco e o coco e por último a pitada de sal. Mexa bem, sempre com uma colher de pau.

Depois de tudo bem misturado é hora de colocar o último ingrediente, o fermento.

Unte uma forma e polvilhe sobre ela farinha de trigo.

Coloque o bolo para assar em um forno preaquecido a 180 graus. Em média, o tempo para ficar pronto é de uma hora, mas é melhor ficar de olho, pois alguns fornos vão assar o bolo em menos tempo. Se começar a dourar em cima é porque está pronto.

3- Feijão Verde ao Creme Nordestino

Dizem que só os nordestinos sabem fazer um feijão verde como se deve. Então, vamos descobrir quais os segredos dessa receita e tentar surpreender os amigos. Anote os ingredientes:

  • 400 gramas de feijão verde (cozinhe previamente)
  • 1 colher (de sopa) de óleo
  • 150 gramas de queijo coalho cortado em pequenos quadrados
  • 1 colher (de sopa) de maisena
  • 1 colher (de sopa) de requeijão
  • 2 colheres (de sopa) de creme de leite sem soro
  • cheiro verde e salsinha à gosto
  • 2 colheres (de sopa) de queijo parmesão ralado

Dica: para servir junto com o feijão verde ao creme, cozinhe quiabo maxixe junto com abobrinha na mesma panela. Picadinhos e com sal.

Como fazer:

Coloque dentro de uma panela grande uma xícara de caldo de feijão verde, deixe ferver e em seguida, acrescente, 400 gramas de feijão, deixe ferver novamente e vá colocando aos poucos a maisena da receita, mexendo sempre.

Quando a maisena fizer o líquido encorpar é hora de acrescentar o requeijão, mexa bem, e imediatamente depois, coloque o creme de leite.

Quando ferver novamente, coloque os cubos de queijo e use uma colher de pau para mexer em fogo baixo.

Quando ferver de novo, depois do queijo, coloque o queijo ralado parmesão, tire a panela do fogo e salpique o cheiro verde e a salsinha por cima.

4- Moqueca Baiana de Peixe

Não tem como falar de culinária nordestina e ignorar uma dos pratos mais saborosos da Bahia, a moqueca de peixe. Preparamos uma receita bem simples para você preparar esse prato em casa, estando em qualquer região brasileira. Anote os ingredientes para 4 porções:

  • Escolha 4 filés de badejo ou de robalo
  • 4 dentes de alho bem amassadinhos
  • 4 colheres (de sopa ) de suco de limão
  • 3 colheres (de sopa) de cebola bem picadinha e 1 inteira média cortada em rodelas finas
  • 3 colheres (de sopa) de azeite
  • 3 colheres (de sopa) de azeite de dendê
  • 200 ml de leite de coco
  • 540 ml de água natural
  • 2 pimentões – um verde e um vermelho, ambos cortados em rodelas finas
  • Tire as sementes de 2 tomates frescos e grandes e corte-os em rodelas finas
  • Coentro e cebolinha à gosto
  • Sal à gosto

Como preparar:

Depois de lavar as postas de peixe em água corrente, tempere usando o alho, o suco de limão e o sal. Reserve durante 30 minutos nessa mistura.

Depois que passar os 30 minutos, em uma panela grande, de preferência uma frigideira, coloque o azeite e deixe aquecer. Quando quente adicione a cebelo ralada e mexa para refogar. Em seguida, coloque o peixe que estava no tempero, junto com tudo que foi usado para temperá-lo.

Mexa por mais alguns segundos e coloque o azeite de dendê, mexa, e em seguida, coloque as cebolas cortadas em rodela. Deixe em fogo baixo cozinhar por 1 minuto.

Adicione o leite de coco, mexa bem, e sem seguida, a hora de acrescentar a água. Em fogo baixo e com a panela tampada deixe 15 minutos cozinhando. Antes de completar o tempo, com cuidado, vire as postas de peixe.

Depois de 15 minutos, acrescente, o coentro, a cebolinha, os pimentões e os tomates. Tampe novamente e deixe cozinhar por 4 minutos.

Tudo pronto! É só servir com um delicioso e fresco arroz branco.

 

Uma culinária de gosto forte, bem temperada e com muitas nuances é o que caracteriza a culinária nordestina, que mescla a beleza de seus litorais, com a seca e a fome do cerrado, com a maior população de estados das regiões brasileiras, ao contrário do que se pode pensar é facílimo identificar os traços da cozinha nordestina.
Basicamente, podemos dividir a culinária nordestina em duas partes, uma seria a do litoral, onde foram criadas receitas à base do que mais se encontra por ali, peixes e frutos do mar. Já o sertão se sustenta com as carnes de boi e a farinha de mandioca, aliás, é uma preferência regional, já que todos de todos os estados consomem este tipo de produto.

Carne e Mandioca

Cozinha do Litoral

O litoral nordestino é banhado pelo Atlântico, refletindo à chegada dos colonizadores por aqui, a maior porção coberta é a da Bahia e a menos favorecida é a da Paraíba, com o menor trecho de água.
Exceção feita à Bahia, onde o predomínio da culinária foi somente dos escravos africanos, nos oito estados restantes à região, se formou um misto da técnica dos colonizadores, aliada à pimenta e o azeite de dendê dos africanos mais o milho e amandioca dos indígenas e estava pronta a cozinha do nordeste.
Na culinária do litoral quem manda são os peixes, e os mais utilizados são o robalo a tainha e o cação, muito embora devido à grande aceitação se utilizem muitos frutos do mar, e os crustáceos notadamente a lagosta e principalmente o carangueijo.

Caranguejo

Importante Fonte de Renda

O caranguejo constitui uma vasta fonte de renda ao nordestino, pois dá emprego há muitas pessoas, desde a sua coleta nos mangues até sua degustação como prato nos restaurantes, é uma indústria da qual o nordestino se agrada e orgulha por construir dignidade aos pés de um animal tão servil.
Outra maneira de se encontrar o caranguejo no nordeste é o caranguejo cevado, alcunha local para os caranguejos criados no cativeiro, a base de ração, e por isso “cevados”. Alcançam um tamanho bem superior ao do caranguejo do mangue e geralmente são servidos como porção nos quiosques e restaurantes da orla.

A Nuance de Sabores

Um dos pratos que mais podem ilustrar a riqueza de detalhes da cozinha nordestina é a moqueca, cujo modo de preparo é diferente em cada um dos estados da região, muito embora não fuja de peixe cozido com pimentão, tomate e coentro, mas que sofre alterações de canto por canto do Nordeste. Em Pernambuco o peixe é servido depois de passado na farinha de mandioca e depois cozido, no que resulta numa espécie de pirão. Já na Bahia leva dendê, o que não ocorre em nenhuma outra região, em Sergipe é feito com leite de côco preparado artesanalmente.

Moqueca de Peixe


Categoria(s) do artigo:
Típica

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *